31 de março de 2008

Aprendendo sempre...


Hoje dia 31 de março, olhando na folhinha de Nossa Senhora Aparecida, descobri que estamos na segunda semana do Saltério.
Sou católica, mas não sabia o que isso significava.
Muitas vezes deixamos passar as coisas que não sabemos com a justificativa de que não temos tempo.
Mas nunca é tarde para aprender não é mesmo...
O 1º Domingo da Quaresma começa com a primeira Semana do Saltério.Na quarta-feira de cinzas e nos dias seguintes, tomam-se os Salmos da quarta semana do Saltério.
Depois da oitava da Páscoa, retoma-se a segunda semana do Saltério, na segunda-feira, após o Segundo Domingo da Páscoa.

"O Saltério é o conjunto dos 150 salmos da Bíblia. É prática litúrgica, tanto entre judeus quanto cristãos, o uso de salmos do Saltério como cânticos entoados pela congregação."

"Você tem razão. O saltério é para nós uma fonte inesgotável de espiritualidade. É a coleção dos cânticos religiosos de Israel composto por 150 Salmos. Os Salmos foram escritos em épocas diversas e por autores diferentes, embora muitos sejam atribuídos a Davi.

A palavra "saltério" vem do Grego, psaltérion, que era um instrumento de cordas que acompanhava a execução dos cânticos. Era algo muito parecido com uma harpa. Era um costume judaico que houvesse no Templo cantores e instrumentistas. De acordo com o Livro dos Juízes 21, 19-21 e o Segundo Livro de Samuel 6, 5.16, as festas religiosas eram celebradas com danças e cantos.

Pelo Antigo Testamento, sabemos que o povo se valia dos Salmos para entrar em contato com Deus. Através dos Salmos, o Povo de Deus fazia orações de súplica, louvores e agradecimentos.

No Novo Testamento, também várias vezes Jesus cita os Salmos. Por exemplo, em suas orações antes de morrer: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?" (Salmo 21, 2); "Em vossas mãos entrego o meu espírito" (Salmo 30, 6). Certamente Maria, na oração do Magnificat, os Apóstolos e toda a Igreja Primitiva e, na caminhada da Igreja, milhões de pessoas também rezaram muitas vezes com Salmos. E, até hoje, eles continuam sendo uma forma muito eficaz para entrar em contato com Deus.

O saltério agrupa poemas de gêneros literários variados, de acordo com a intenção de seu autor. Existem os hinos que nos convidam a louvar a Deus, pelas maravilhas realizadas na natureza, principalmente pela obra da Criação (Salmos 8, 33, 84, 150).

Outros Salmos são súplicas ou lamentações. Embora se dirijam a Deus, não são salmos de glória. Seu principal propósito não é cantar a glória e o poder de Deus. Após invocar o Espírito de Deus, o salmista pede socorro, através de uma prece ou expressão de confiança no poder do Senhor (Salmos 12, 25, 60, 130).

Existem também os salmos de ação de graças. Nestes, o essencial é o agradecimento e o louvor ao Senhor que ouve nossa oração (Salmos 12, 20, 29, 117, 123).

Na introdução ao Livro dos Salmos, da Bíblia Ave-Maria (p. 31), há uma relação dos salmos mais belos, agrupados de acordo com seu tema principal.

Eis aqui alguns temas:
o Salmos de confiança: 22, 26, 120, 130.
o Ensinamentos da sabedoria: 1, 31, 36, 118.
o Meditações: 8, 9, 11, 35, 38, 48.
o Louvores: 7, 18, 28, 46, 92, 95, 96, 97, 145.
o Lamentações: 24, 31, 32,43.
o Ação de graças: 33, 65, 102, 135.

Dada a atualidade e a importância dos Salmos, a Igreja faz deles sua "oração oficial". Os fiéis cristãos, ao recitarem os Salmos, à luz do Ressuscitado, descobrem neles a renovação da Aliança. Por isso, com toda certeza podemos afirmar que os Salmos são a esperança do Povo de Deus cantada em forma de poesia."( Maciel M. Claro)

30 de março de 2008

Campanhas corretas

Por que não vemos campanhas do tipo seja ético no trabalho.
Ajude uma velhinha atravessar a rua.
Faça trabalho voluntário.
Visite os asilos, os hospitais.
Ajude a combater a miséria.
Trabalhe para a dignidade da pessoa humana.
Qualquer governo é simplista.
Tenta remediar da forma incorreta.
Não tenta melhorar o carater.
Não busca dar oportunidades.
Combate o criminoso, sem se preocupar em melhora-lo como ser humano. E se ele errar novamente volta para a prisão, como reincidente, com pena maior.
Combater a miséria é muito mais do que fome Zero, bolsa escola e auxílio gás.
E essa história de que a merenda escolar ajuda na alimentação das crianças...... é falácia. A verba salvo engano é de R$0,23( vinte e três centavos). Não dá para comprar nem um pãozinho.
E o salário mínimo, é mínimo mesmo, não dá tranquilidade, não promove, saúde, alimentação, vestuário e lazer.
E o que vemos: campanhas voltadas para condutas sexuais. Campanhas que demandam tempo e dinheiro dos contribuintes.
Acredito que você não quer que as pessoas façam aquilo que quiserem, eu também não.
Ninguém faz nada para reclamar.

Gandhi ensinou muito com a resistência pacifica. Mas acho que já está na hora de manifestarmos nossa opinião.
Ser cristão consciente é muito mais do que se calar.

Aonde iremos nós...






Que imagem é esta?
Que tipo de campanha esta sendo feita?
As pessoas se esqueceram o alcance das frases, das intenções.
Faça o que quiser... abrange muito mais do que aquilo que se pode esperar. Vai contra um complexo de normas...
Muitos poderam pensar assim "poço fazer o que quiser, onde quiser e como quiser".
Assim não dá. Campanhas sociais são importantes, mas devem ser analisadas e construidas com cautela.
É um absurdo!

As Misericórdias

Kelly Patrícia

Composição: Indisponível

Refrão: As misericórdias do Senhor, eternamente eu cantarei, eu cantarei, eu cantarei(2X)
Celebrai ao Senhor porque Ele é bom. Porque seu amor é para sempre.
Refrão
A casa de Israel repita: o seu amor é para sempre.A casa de Arão repita: o seu amor é para sempre. Os que temem ao Senhor repitam: o seu amor é para sempre.
Refrão

A Divina Misericórdia



Em 22 de fevereiro de 1931, Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo apareceu à jovem religiosa de nome Irmã Faustina (Helen Kowalska) em Cracóvia, Polônia. Ela vinha de uma família muito pobre que havia trabalhado muito em sua pequena fazenda durante os terríveis anos da I Guerra Mundial. Irmã Faustina teve apenas três anos de educação muito simples. Suas tarefas eram as mais humildes do convento.

A essa humilde freira, Jesus trouxe uma maravilhosa mensagem de Misericórdia para toda a humanidade.

Irmã Faustina nos conta em seu diário:

"À noite, quando eu estava em minha cela, percebi a presença do Senhor Jesus vestido de uma túnica branca. Uma mão estava levantada a fim de abençoar, a outra pousava na altura do peito. Da abertura da túnica no peito saíam dois grandes raios, um vermelho e outro pálido. Em silêncio eu olhei intensamente para o Senhor; minha alma estava tomada pelo espanto, mas também por grande alegria. Depois de um tempo, Jesus me disse: 'Pinta uma imagem de acordo com o que vês, com a inscrição, 'Jesus, eu confio em Vós. Prometo que a alma que venerar esta Imagem não perecerá.'"

Algum tempo depois, Nosso Senhor lhe explicou o significado dos dois raios em destaque na Imagem:

"Os dois raios representam o Sangue e a Água. O raio pálido representa a Água, que justifica as almas; o raio vermelho representa o Sangue, que é a vida das almas. Ambos os raios saíram das entranhas de minha Misericórdia quando, na Cruz, o Meu Coração agonizante foi aberto pela lança... Estes raios defendem as almas da ira do meu Pai. Feliz aquele que viver sob a proteção deles, porque não será atingido pelo braço da Justiça de Deus."




Conheça e reze o Terço da Misericórdia:



Pai-Nosso...
Ave-Maria...
Creio...

Nas contas do Pai-Nosso, reza-se:
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e do mundo inteiro.

Nas contas das Ave-Marias, reza-se:
Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro. (10 vezes)

Ao final do terço, reza-se:
Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.

Este terço foi ensinado durante uma visão que Irmã Faustina teve em 13 de setembro de 1935:

"Eu vi um anjo, o executor da cólera de Deus... a ponto de atingir a terra ... Eu comecei a implorar intensamente a Deus pelo mundo, com palavras que ouvia interiormente. À medida em que assim rezava, vi que o anjo ficava desamparado, e não mais podia executar a justa punição..."

No dia seguinte, uma voz interior lhe ensinou essa oração nas contas do rosário.

Mais tarde, Jesus disse a Irmã Faustina:
"Pela recitação desse Terço agrada-me dar tudo que Me pedem. Quando o recitarem os pecadores empedernidos, encherei suas almas de paz, e a hora da morte deles será feliz. Escreve isto para as almas atribuladas: Quando a alma vê e reconhece a gravidade dos seus pecados, quando se desvenda diante dos seus olhos todo o abismo da miséria em que mergulhou, que não desespere, mas se lance com confiança nos braços da minha Misericórdia, como uma criança nos braços da mãe querida. Estas almas têm sobre meu Coração misericordioso um direito de precedência. Dize que nenhuma alma que tenha recorrido a minha Misericórdia se decepcionou nem experimentou vexame..."

"....Quando rezarem este Terço junto aos agonizantes, Eu me colocarei entre o Pai e a alma agonizante, não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso".

25 de março de 2008

Dia Triste

Hoje é um dia marcante na história brasileira.
Há cem anos foi criado um time de futebol que corrompeu muitos jovens, que por sua vez corromperam seus filhos e amigos, fazendo com que surgisse uma corrente viciosa que infelizmente ainda se espalha.
Em 1908 ocorreu a fundação do Clube Atlético Mineiro.
Sabe o que é mais assustador, até hoje ninguém fez nada para salvar estas pessoas. É triste imaginar que elas nunca sentiram a emoção de torcer para um time de verdade.

Olhos vendados pela máscara preto e branco. Isso é assustador.

Mas criticar não é, nem nunca foi a solução.
Assim, nós, o povo sábio e cruzeirense precisamos encontrar uma solução para que essas pessoas tenham suas consciências recuperadas e sejam felizes em seus times como nós.

Recupere a consciência, seja Cruzeirense.

23 de março de 2008

Feliz Páscoa

18 de março de 2008

The History of Everything---------Barenaked Ladies

Composição: Indisponível

Our whole universe was in a hot dense state,
Then nearly fourteen billion years ago expansion started. Wait...
The Earth began to cool,
The autotrophs began to drool,
Neanderthals developed tools,
We built a wall (we built the pyramids),
Math, science, history, unraveling the mysteries,
That all started with the big bang!

"Since the dawn of man" is really not that long,
As every galaxy was formed in less time than it takes to sing this song.
A fraction of a second and the elements were made.
The bipeds stood up straight,
The dinosaurs all met their fate,
They tried to leap but they were late
And they all died (they froze their asses off)
The oceans and pangea
See ya, wouldn't wanna be ya
Set in motion by the same big bang!

It all started with the big BANG!

It's expanding ever outward but one day
It will cause the stars to go the other way,
Collapsing ever inward, we won't be here, it wont be hurt
Our best and brightest figure that it'll make an even bigger bang!

Australopithecus would really have been sick of us
Debating out while here they're catching deer (we're catching viruses)
Religion or astronomy, Encarta, Deuteronomy
It all started with the big bang!

Music and mythology, Einstein and astrology
It all started with the big bang!
It all started with the big BANG!

17 de março de 2008

E a pacata cidadezinha .......

Mais uma morte foi levada ao conhecimento da população de nossa pacata cidadezinha.
Outro raio caiu e levou a vida de um jovem.
Estamos no meio de um tumulto social.
As pessoas estão comovidas e assustadas.
A morte é sempre algo assustador. Mas quando impede qualquer tipo de defesa, de preparação, de indignção mostra o quanto somos limitados em nossa humilde existência.

13 de março de 2008

Páscoa


Hoje começo a me preparar para a Páscoa. Quero fazer ovos para as filhas das minhas primas que são muito fofinhas. Para minha afilhada que é um anjo e seus irmãos. Adoro esse clima de preparação, de espera. Principalmente para a grande festa da Ressurreição.
Acho que o coelho da Páscoa deve estar se preparando da mesma forma.

12 de março de 2008

O velhinho sem vergonha

Um velhinho de 88 anos é acusado de atentado violento ao pudor contra uma menininha de 11 anos.
Tem que ser muito sem vergonha e sem juízo. Caramba!!!!!!!!!!Ele é idoso deveria descansar, aproveitar a velhice.
E o pior é saber que a pena dele caso seja condenado é muito pequena, porque ele é idoso, provavelmente é primário.
Assim não dá.
Os crimes sexuais são os que causam maior repulsa. Ninguém tem o direito de violentar a sexualidade do outro. Somos seres livres e qualquer ato deve ser voluntário e por amor.
Aquele que comete essa prática, vai contra a dignidade e liberdade do outro. Nestas horas a gente pensa " e quem sabe se aqui no Brasil existisse o empalamento como pena". Pensar assim é absurdo e irreal com os conceitos de sociedade democrática, mas é assustador pensar que condutas como esta estão cada vez mais frequentes.
Sinto tanta repulsa porque onze anos é um pouco menos que a idade de minha irmã mais nova, e definitivamente, situações como esta, me assustam e muito.

Veja a matéria.
http://www.estadao.com.br/cidades/not_cid138519,0.htm

11 de março de 2008

Santa Sé fala sobre as novas formas de pecado social

L'Osservatore Romano, com Redação
Em entrevista ao jornal L'Osservatore Romano, Mons.Gianfranco Girotti, bispo responsável pela Penitenciária Apostólica da Santa Sé, falou sobre a importância deste Dicastério, pouco conhecido, porém essencial para vida da Igreja.

"Manipulações genéticas; degradação ambiental; desigualdades sociais; injustiça social: eis novas formas de pecado que fazem parte do atual contexto social causado pela globalização", destacou Mons.Gianfranco Girotti na entrevista.

"É um desafio novo também para a Penitenciaria Apostólica que se esforça, ao mesmo tempo, para reafirmar o seu papel em um momento no qual o pecado é banalizado", afirmou o monsenhor.

Confira a íntegra da entrevista:

Nicola Gori - A Penitenciaria Apostólica parece ser um objeto misterioso para a opinião publica, mas também para boa parte dos fiéis?

Mons. Gianfranco Girotti - Mesmo sendo atualmente o mais antigo organismo da Cúria Romana – depois que a Dataria foi suprimida, em 1967 e a Chancelaria, em 1973 – , é pouco conhecido, até mesmo, por grande parte do clero. O motivo pode ser por sua atividade não ser tão visível como a de outros Dicastérios. A Penitenciaria Apostólica, entre os Dicastérios da Cúria Romana, desenvolve, de maneira sempre direta, uma atividade propriamente espiritual e harmônica, com a missão fundamental da Igreja, que consiste na salus animarum. É o órgão universal e exclusivo do pontífice em matéria de Fórum Interno. Que cuida de pecados, censuras, irregularidades, de maneira geral, e situações particulares como, por exemplo, dispensas, liberações e convalidação de atos nulos. Examina e resolve o indício dos casos de consciência que lhes são propostos (aborto, sacrilégios, indulgências plenárias). Resolve dúvidas em matéria moral, jurídica ou quando se trata de circunstâncias particulares.

Nicola Gori - Há sentido, para um órgão como a Penitenciaria, num momento em que existem tantos problemas com o ecumenismo?

Gianfranco Girotti - É difícil colher as razões e os motivos deste suposto mal estar que a Penitenciaria criaria sobre o ecumenismo. Se queremos fazer referências aos erros historiográficos, temos que reconhecer que desde a época do Renascimento não aconteceu uma correta discussão ecumênica. Isto podemos comprovar com a recente e rica documentação de sérios religiosos que fizeram emergir, honestamente, em função deste Dicastério, conhecido como a verdadeira “fonte de graça”, privado de qualquer interesse.

Nicola Gori - A atenção ao pecado parte de uma sensibilidade às exigências da sociedade moderna ou se move sobre a base da referência de um tempo passado?

Gianfranco Girotti - A referência é sempre à relação da aliança com Deus e com os irmãos e os reflexos sociais do pecado. Se, no passado, o pecado tinha uma dimensão demasiadamente individualista, hoje possui uma valência, uma ressonância, além do individualismo, mas sobretudo social por causa do grande fenômeno da globalização. De fato, a atenção ao pecado se apresenta mais urgente hoje do que no passado. Por causa dos seus reflexos quem são mais amplos e mais destrutivos.

Nicola Gori - A Penitenciaria ainda tem alguma utilidade no contexto atual?

Gianfranco Girotti - Sem dúvida. Em uma época, caracterizada pela imagem e pela publicidade, aonde tudo se torna público, um Dicastério, como a Penitenciaria Apostólica, atento ao mundo interior, no seu modo mais delicado e menos visível, no atual cenário da Igreja é, de fato, um instrumento muito precioso.

Nicola Gori - Quais são as questões que atraem em maior parte de sua atenção?

Gianfranco Girotti - São os delitos que, diante de sua gravidade, tem absolvição reservada à Santa Sé: absolvição do próprio cúmplice em pecado contra o 6º mandamento (Cânone 1378); a profanação sacrílega do Santíssimo Sacramento na Eucaristia (Cânone 1387), a violação direta do sigilo sacramental (Cânone 1388, 1); a dispensa da irregularidade ad recipiendos Ordines contraído pelo aborto provocado (Cânone 1041, 4); a dispensa da irregularidade ad exercendos Ordines (Cânone 1044, 1).

Nicola Gori - Como o Dicastério interpreta a surpresa que a opinião pública enfrenta diante de tantas situações de escândalo e de pecado na Igreja?

Gianfranco Girotti - Não se pode substimar a objetiva gravidade de uma série de fenômenos que, recentemente, foram denunciados e que trazem consigo as faces da fragilidade humana e institucional da Igreja; sobre isso não se pode não constatar como a Igreja preocupada com grave dano produzido. Ela reagiu e continua reagindo com rigorosas intervenções e iniciativas para zelar por sua própria imagem, para o bem do povo de Deus. Devemos, entretanto, denunciar a enfatização dada pela opinião pública, através dos meios de comunicação, que leva a Igreja a ter descrédito.

Nicola Gori - Às vezes a indulgência da Igreja e o perdão cristão não são compreendidos pelas pessoas. Segundo vossa Excelência, porque isso acontece?

Gianfranco Girotti - Onde parece que a penitência é acolhida com abertura de si mesma ao outro na solução dos problemas que se impõe uma atenção em tal âmbito social no qual, se exprime a própria existência, oferecendo a própria contribuição de esclarecimento e de sustento à quem está em dificuldade. A penitência, portanto, hoje vem acolhida com predominantemente, na dimensão social, no momento em que as relações sociais se enfraqueceram e ao mesmo tempo se complicaram por causa da globalização.

Nicola Gori - Quais são os novos pecados, segundo Vossa Excelência, e quais são as áreas nas quais, hoje, colhemos comportamentos pecaminosos no que diz respeito aos direitos individuais e sociais?

Gianfranco Girotti - Antes de tudo, na área da bioética, aonde não podemos deixar de denunciar algumas violações nos direitos fundamentais da natureza humana através de experimentos, manipulações genéticas.

A área das drogas também é social. Ela enfraquece a psique e se obscura a inteligência deixando muitos jovens fora do circuito eclesial. Outro exemplo se encontra na realidade econômica aonde os mais pobres se tornam sempre mais pobres e os ricos, sempre mais ricos, alimentando uma insustentável injustiça social. Exemplifico, ainda, a área da ecologia que possui, hoje, um relevante interesse.

Nicola Gori - Uma freqüente procura das indulgências não incentiva uma mentalidade mágica diante da culpa e da pena?

Gianfranco Girotti - Para não cair numa perigosa e falsa prisão penso, antes de tudo, que seja absolutamente necessário conhecer e compreender a reta doutrina da prática das indulgências, entendida pela Igreja, como expressão significativa da misericórdia de Deus. As indulgências vêm ao encontro de seus filhos para ajudá-los a pagar as penas de seus pecados, mas, sobretudo, para impulsionar a um maior fervor na caridade.

A Igreja é movida, em primeiro lugar, pelo desejo de educar. Mais do que pela repetição de fórmulas ou práticas, com espírito de oração, penitência e exercício das virtudes teologais: fé, esperança e caridade.

A reforma do Servo de Deus Paulo VI, feita com a Constituição Apostólica Indulgentiarum doctrina, em 1º de janeiro de 1967, eliminou qualquer coisa que induzisse os fiéis a uma mentalidade mágica. Tal doutrina expõe claramente os pressupostos teológicos das indulgências, da comunhão dos santos e do tesouro da Igreja, consistente nas extensões e nos métodos de Cristo, da Bem Aventurada Virgem Maria e dos Santos que são colocados à disposição dos fiéis. As indulgências, de fato, não podem ser adquiridas sem uma sincera conversão e união com Deus, a quem está o pleno rompimento das obras prescritas.

Nicola Gori - Não parece que as condições para ter indulgências sejam leves?

Gianfranco Girotti - Se juntamente às condições impostas - confissão sacramental, não mais do que há 15 dias antes ou depois da indulgência, comunhão eucarística e oração segundo as orações do pontífice – pensemos que para adquirir a indulgência também é pedido um grau de pureza e sinais de ardente caridade, coisas difíceis à nossa fragilidade, então diria que aquilo que está estabelecido não é de se minimizar.

Nicola Gori - Existem pecados que vocês não podem absolver?

A Penitenciaria é a longamanos do Papa no exercício da potestas clavium. Portanto, para realizar as funções que possuem possui todas as faculdades necessárias, com exceção ao que o próprio Pontífice tenha declarado ao Cardeal Penitenciário, para absolver.

Nicola Gori - Sobre o aborto. Existe a sensação difundida de que a Igreja não tem em consideração a difícil situação das mães?

Gianfranco Girotti - Me parece que não é levado em conta comportamento da Igreja que se manifesta constantemente por um desejo de salvaguardar e tutelar pela dignidade e direitos da mulher. São, de fato, muitas as iniciativas católicas e movimentos eclesiais com empenho corajoso e comovente para promover e, até mesmo, contrastar, as atuais tendências sociais e culturais contra a mulher, ajudando, de maneira eficaz, às mães solteiras a trabalharem e a educarem seus filhos e facilitando a adoção.

http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=253890

Runaway The Corrs

Composição: The Corrs

Say it's true
There's nothing like me and you
I'm not alone
Tell me you feel it too

And I would runaway
I would runaway, yeah yeah
I would runaway
I would runaway with you

Because I, I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

Close the door
Lay down upon the floor
And by candlelight
Make love to me through the night

'Cause I have runaway
I have runaway, yeah yeah
I have runaway, runaway,
I have runaway with you

Because I, I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

With you, my love
With you

And I would runaway
I would runaway, yeah yeah
I would runaway
I would runaway with you

Because I, I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

Runaway yeah,runaway yeah
Runaway, runaway,runaway, runaway
runaway yeah,runaway yeah,
Runaway, runaway, runaway yeah...
with.....you.......

10 de março de 2008

Limitações

Às vezes sinto falta de ter com quem conversar sobre os assuntos que mais me agradam. É ruim quando se gosta dos livros que ninguém leu. Se interessar por assuntos que não agradam a maioria das pessoas nem sempre é muito gratificante.
Minha aula de quinta-feira passada foi uma decepção total. Minha professora me fez uma pergunta e eu respondi, e ela simplesmente não entendeu minha resposta.
Então delicadamente expliquei novamente, com palavras simples, de maneira pausada e ela continuou sem entender. Aí do nada ela me disse que as teorias modernas nem sempre podem ser aplicadas; caramba; a teoria existe sei lá há pelo menos 500 anos.
A culpa não é minha. É dela, onde ela estava quando as aulas foram ministradas. E agora para a alegria dos meus dias continuarei a ter aula com esta Topeira gigante.

É o fim!!!

Bem tenho 21 anos, estou no meu último ano de faculdade e não sei o que fazer depois. Pode parecer que estou me apressando, mas "preciso de ritos", gosto de planos, metas, caminhos, horários e datas, nem parece que sou ariana, não é mesmo.
Claro a meta principal esta definida, passar em um bom concurso de nível superior e ganhar razoávelmente bem. Mas as metas secundárias precisam ser definidas: Não sei se quero começar uma pós-graduação, se tento mestrado direto, se faço outro curso, que todo mundo sabe seria arquitetura. Sinto falta de desenhar, de ter liberdade de criação. Mas quando penso no tempo que vou gastar, para não exercer a profissão, penso que é melhor fazer pós ou mestrado e me dedicar ao Direito. Amo o direito, não tenho dúvidas quanto a isso, mas é estranho quando se pensa que se abriu mão de um sonho totalmente.
Quando comecei faculdade pensava em terminar Direito, passar no concurso da AGU, começar arquitetura, passar no concurso para juiz federal, terminar arquitetura e construir minha casa ter quatro filhos, tudo claro antes dos vinte oito.
Agora tenho dúvidas quanto ao que quero. Quero me decidir com antecedência. Que a melhor escolha seja feita.

Dia das Mulheres----------(continuação...)

Dia 08 de março fui visitar o Santuário de Nossa Senhora Aparecida.
Achei tudo muito bonito, a igreja, a fé.
A missa das 9h00min foi maravilhosa e priorizou as mulheres. Algumas com lenços, uma música doce, pessoas fervorosas.

A música de encerramento foi esta, e nunca foi tão bonito ouvi-la.
Maria, Maria é um dom, uma certa magia
Uma força que nos alerta
Uma mulher que merece viver e amar
Como outra qualquer do planeta
Maria, Maria é o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que ri quando deve chorar
E não vive, apenas agüenta
Mas é preciso ter força, é preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria mistura a dor e a alegria
Mas é preciso ter manha, é preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz a fé nessa marca
Possui a estranha mania de ter fé na vida
Mas é preciso ter força...
Mas é preciso ter manha...
Ah-Eh / Ah-Eh-Ah-Ah-Eh...



Pois bem, era dia das mulheres e fiquei esperando até duas horas pelos parabéns pessoalmente, e quer saber... eles não vieram.
Fiquei decepcionada momentaneamente. É estranho saber que não se é lembrada, pelo menos não da forma que se gostaria; pieguice; talvez; mas me sinto no direito de querer o máximo sempre, em todas as situações.
Então resolvi seguir o conselho do meu querido WILLIAM SHAKESPEARE:

"Depois de algum tempo você
aprende a diferença, a sutil
diferença entre dar
a mão e acorrentar uma alma

E você aprende que amar não
significa apoiar-se,
e que companhia nem
sempre significa segurança.

E começa a aprender que
beijos não são
contratos e presentes
não são promessas.

E começa a aceitar suas derrotas
com a cabeça erguida e
olhos adiante, com a graça
de um adulto e não com
a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas
as suas estradas no hoje,
porque o terreno do
amanhã é incerto
demais para os
planos,e o futuro
tem o costume de
cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende
que o sol queima se ficar
exposto por muito tempo.

E aprende que não importa
o quanto você se
importe, algumas pessoas
simplesmente não se importam...

E aceita que não importa quão
boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em
quando e você precisa
perdoá-la, por isso.

Aprende que falar pode aliviar
dores emocionais.

Descobre que se leva anos
para se construir confiança e apenas
segundos para destruí-la,
e que você pode fazer
coisas em um instante,
das quais se arrependerá
pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades
continuam a crescer mesmo
a longas distâncias.

E o que importa não é o que
você tem na vida, mas
quem você tem na vida.

E que bons amigos são a família
que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar
de amigos se compreendemos
que os amigos mudam, e
percebe que seu melhor
amigo e você podem
fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons
momentos juntos.

Descobre que as pessoas
com quem você mais se
importa na vida são
tomadas de você
muito depressa,por
isso sempre devemos
deixar as pessoas
que amamos com
palavras amorosas.
Pode ser a última vez que
as vejamos.

Aprende que as circunstâncias
e os ambientes têm
influência sobre nós, mas
nós somos responsáveis
por nós mesmos.

Começa a aprender que não deve
se comparar com os outros,
mas como melhor
que você pode ser.

Descobre que leva muito
tempo para se tornar
a pessoa que se
quer ser, e que o
tempo é curto.

Aprende que não importa onde
já chegou, mas onde
está indo, mas se você
não sabe para onde
está indo, qualquer
lugar serve.

Aprende que, ou você controla
seus atos ou eles o
controlarão, e que
ser flexível não significa ser
fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão
delicada e frágil seja uma
situação, sempre existem
dois lados.

Aprende que heróis são
pessoas que fizeram
o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência
requer muita prática.

Descobre que algumas vezes
a pessoa que você
espera que o chute
quando você cai
é uma das poucas que o
ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade
tem mais a ver com os tipos
de experiência que
se teve e o que você
aprendeu com elas
do que com
quantos aniversários
você celebrou.

Aprende que há mais dos
seus pais em você
do que você supunha.

Aprende que nunca se deve
dizer a uma criança que
sonhos são bobagens, poucas
coisas são tão humilhantes
e seria uma tragédia se ela
acreditasse nisso.

Aprende que quando está com
raiva tem o direito
de estar com raiva,
mas isso não te dá
o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém
não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse
alguém não o ama com tudo o
que pode, pois existem
pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem
como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre
é suficiente ser
perdoado por alguém,
algumas vezes você
tem que aprender
a perdoar a si mesmo.

Aprende que com a mesma
severidade com
que julga, você será
em algum
momento condenado.

Aprende que não importa
em quantos pedaços seu
coração foi partido,
o mundo não pára para
que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo
que possa voltar para trás.

Portanto, plante seu jardim
e decore sua alma, em
vez de esperar que
alguém lhe traga flores.

E você aprende que,
realmente pode suportar...
que realmente é forte,
e que pode ir muito mais longe
depois de pensar
que não agüenta mais.

E que realmente a vida
tem valor e que
você tem valor diante da vida!"

Então lavei os cabelos e saí para a Rua, me dei flores, me dei chocolates, olhei a paisagem, respirei ar puro... me dei de presente algo que a tempos queria mas que não tinha coragem de comprar. Olhei o céu, agradeci a Deus pelo presente maravilhoso que foi a visita.
Sou muito ligada a datas, não sei o motivo, mas considero erro grosseiro e desrespeitoso o esquecimento. Defeitos que precisam ser controlados, não se pode controlar a memória dos outros.
Não se pode esperar que as pessoas sejam da forma que nos gostariamos.
Não se pode sofrer simplesmente porque elas não são.
E depois, como tudo é por Deus, recebi meus parabéns quando retornei ao hotel. Recebi flores, abraços e ligações.

7 de março de 2008

Dia Internacional da Mulher

Dia 08 de março.

Como amanhã não poderei postar, não quis perder a oportunidade.

FELIZ DIA DA MULHER!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

FELIZ DIA DA MULHER PARA MIM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

AVE MARIA DAS MULHERES


Mãe,
Aqui, agora e a sós
Quero lhe pedir por todas nós
Por aquelas que foram escolhidas
Para dar a vida
Mulheres de todas as espécies
De todos os credos, raças e nacionalidades ;

Todas aquelas nas quais a vida
Está envolvida em sorrisos, lágrimas,
tristezas e felicidades
Aquelas que sofrem por filhos
que geraram e perderam
As que trabalham o dia inteiro
Em casa ou em qualquer emprego;

Quero pedir pelas mães
Que penam por seus filhos doentes
Quero pedir pelas meninas carentes
E pelas que ainda estão dentro de um ventre;

Pelas adolescentes inexperientes
Pelas velhinhas esquecidas em asilos
Sem abrigo, sem família, carinho e amigos
Peço também pelas mulheres enfermas
Que em algum hospital
aguardam pela sua hora fatal;

Quero pedir pelas mulheres ricas
Aquelas que apesar da fortuna
Vivem aflitas e na amargura
Peço por almas femininas mesquinhas,
pequenas e sozinhas
Por mulheres guerreiras a vida inteira
Pelas que não têm como dar a seus filhos
o pão e a educação;

Peço pelas mulheres deficientes
Pelas inconseqüentes
Rogo pelas condenadas,
aquelas que vivem enclausuradas
Por todas que foram obrigadas
a crescer antes do tempo
Que foram jogadas na lavoura
Ou em alguma cama devastadora;

Rogo pelas que mendigando nas ruas
Sobrevivem apesar dessa tortura
Pelas revoltadas,
as excluídas e as sexualmente reprimidas;

Peço pela mulher dominadora e pela traidora
Peço por aquela que sucumbiu sonhos dentro de si
Por todas que eu já conheci
Peço por mulheres solitárias e pelas ordinárias
As mulheres de vida difícil
e que fazem disso um ofício
E pelas que se tornaram voluntárias
por serem solidárias;

Rogo por aquelas que vivem acompanhadas
Embora tristes e amarguradas
E por todas que foram abandonadas
As que tiveram que continuar sozinhas
Sem um parceiro, um amigo, um ombro querido;

Peço pelas amigas
Pelas companheiras
Pelas inimigas
Pelas irmãs e pelas freiras
Suplico por aquelas que perderam a fé
Que se distanciaram da esperança
Quero pedir por todas que clamam por vingança
E com isso se perdem em sua inútil andança;

Rogo pelas que correm atrás de justiça
Que a boa vontade dos homens as assista
Peço pelas que lutam por causas perdidas
Pelas escritoras e as doutoras
Pelas artistas e professoras
Pelas governantes e pelas menos importantes
Suplico pelas fêmeas
que são obrigadas a esconder seus rostos
E amputadas do prazer vivem no desgosto;

Quero pedir também pelas ignorantes
E por todas que no momento estão gestantes
Por aquela mulher triste dentro do coração
Que vive com a alma mergulhada na solidão
Por aquela que busca um amor verdadeiro
Para se entregar de corpo inteiro
E peço pela que perdeu a emoção
Aquela que não tem mais paz dentro do coração
E rogo, imploro, por aquela que ama
E que não correspondida, vive uma vida sofrida
Aquela que perdeu o seu amor
E por isso, sua alma se fechou
Por todas que a droga destruiu
Por tantas que o vício denegriu
Suplico por aquela que foi traída
Por várias que são humilhadas
E pelas que foram contaminadas;

Mãe,
quero pedir por todas nós
Que somos o sorriso e a voz
Que temos o sentimento mais profundo
Porque fomos escolhidas tanto quanto você
Para gerar e, apesar de qualquer coisa,
Amar...
Independente de quem forem nossos filhos
Feios ou bonitos
Amáveis ou rebeldes
Perfeitos ou deficientes
Tristes ou contentes

Mãe,
ajuda-nos a continuar nessa batalha
Nessa guerra diária
Nessa luta sem fim
Ajuda-nos a ser feliz como a gente sempre quis
Dai-nos coragem para continuar
Dai-nos saúde para ao menos tentar
Resignação para tudo aceitar
Dai-nos força para suportar nossas amarguras
E apesar de tudo
continuarmos a ser sinônimo de ternura;

Perdoa-nos por nossos erros
E por nossos insistentes apelos
Perdoa-nos também por nossas revoltas
Nossas lágrimas e nossas derrotas
E não nos deixe nunca mãe, perdermos a fé
E sempre que puder
Peça por nós ao Pai
E lembre-lhe que quando ele criou EVA
Não deixou com ela nenhum mapa de orientação
Nenhum manual com indicação
Nenhuma seta indicando o caminho correto
Nenhuma instrução de como viver
De como, a despeito de tudo vencer
E mesmo assim.....conseguimos aprender.
Amém!

(Silvana Duboc)

Mulheres


As mulheres são como as árvores: elas fincam raízes no solo dos nossos corações, têm paciência e capricho com o próprio crescimento, seus braços são poderosos e, ao abraçá-las, nossos espíritos recebem renovadas energias.
Elas amam e cuidam dos seus frutos, mesmo sabendo que um dia o mundo os levará para longe.
Outras, aquelas que não dão frutos, oferecem sua sombra àqueles que necessitam de descanso.
Quando açoitadas por fortes ventos da vida, elas emanam o perfume da força, trazendo calma por mais assustadora que seja a noite.
Seus corações voam alto o suficiente para escutarem mais de perto os recados do céu.
Elas oxigenam as ruas das cidades, as avenidas, os acostamentos de estradas e as
beiras de rios e até as matas.
Elas entendem o canto dos passarinhos e, mais do que ninguém, valorizam e protegem seus ninhos.
Suportam melhor a solidão e as dificuldades da vida...
Elas nascem em maior número para que o verde da esperança jamais empalideça.
Todas mulheres são árvores... e que lindas florestas elas fazem.

(Desconheço o Autor)

6 de março de 2008

O Sobrinho do Mago

Estou lendo As Crônicas de Nárnia, de C.S. Lewis, para ser um pouco mais sincera estou furando a fila. Mas não tenho que me sentir culpada afinal a fila é apenas um costume, não está escrito em lugar nenhum e neste momento resolvi ignorar os outros oito livros que chegaram primeiro. Afinal eles não tem como reclamar.
Terminei ontem o primeiro livro, O Sobrinho do Mago. A leitura é doce e cativante.
A pureza dos animais é divertidíssima. Questionam se o homem, é animal, vegetal ou mineral e após uma pequena deliberação, acreditam que se trata de uma árvore.
O autor é maravilhoso.
Quando é narrada a criação de Nárnia, fiquei pensando em como Deus talvez tenha criado o mundo do mesmo jeito, como uma música. Afinal, tudo que Deus faz é tão maravilhoso que quem sabe se esqueceram de contar que ele criou o mundo como em uma música.
No livro dos cânticos a poesia mais parece uma música, então quem sabe, quando da Criação também houve canto.
O melhor no livro é o final feliz. Adoro os finais felizes. Com eles tenho a esperança de um mundo melhor, onde aqueles que acreditam serão felizes...Acho que essa tendência faz parte do complexo de Cinderela, onde se imagina que tudo dá certo no fim.
Depois surgem problemas, complicações em Nárnia, mas naquele momento se acredita que tudo vai dar certo por um bom tempo.

Estou decepcionada

“Nem se lhe pode opor a garantia da dignidade da pessoa humana, nem a garantia da inviolabilidade da vida pois, segundo acredito, o pré-embrião não acolhido no seu ninho natural de desenvolvimento, o útero, não se classifica como pessoa”,Ellen Gracie.

Estou decepcionada........ ahhhhh como estou... quem poderia imaginar que a presidente do Supremo Tribunal Federal poderia votar desta maneira.
Será que ser mulher e levar em consideração valores morais condizentes com a nossa possibilidade de geração, não deveriam ser levados em conta? Sinceramente desde 31/08/2005, quando o processo foi distribuido para o Ministro Cartlos Britto, pensei que a decisão poderia sim ser desfavoravel àquilo que eu acredito, mas não esperava que isso partisse de uma mulher.
Talvez conseguir liberdade, independência entre outras coisas não tenha sido o melhor caminho a tomar.Talvez quando saímos para trabalhar deixamos nossos corações em casa... Pode parecer pieguice, mas acredito que caminhamos rumo ao retrocesso.
Hoje é assim e quem sabe daqui alguns anos todas as mulheres serão obrigadas a contribuir com seus embriões.

Admiro a atitude do PGR, ao afirmar " O embrião não é apenas um simples amontoado de células, mas sim um ser humano na fase inicial de sua vida". Preciso reconhecer, eu com minhas leves tendências feministas percebi que os homens ainda tem salvação, mas que talvez nós mulheres tenhamos nos perdido pelo caminho... o mundo moderno fez com que nossa fragilidade emocional ficasse desprotegida e sujeita a manipulações.
Tomara que recuperemos a consciência em breve.

“Por outro lado, o pré-embrião também não se enquadra na condição de nascituro, pois a este a própria denominação o esclarece bem, se pressupõe a possibilidade, a probabilidade de vir a nascer, o que não acontece com esses embriões inviáveis ou destinados ao descarte”.Quem pode garantir que um embrião deve realmente ser descartado? quantos casos tidos como sem solução chegaram a um final feliz... Acredito nos milagres. Acredito na força da fé e no poder de Deus.
E que história é essa de pré-embrião. Após o ato sexual, querendo ou não, existe grande possibilidade de fecundação. E que condição é essa para se enquadrar como nascituro. Novamente a ciência nos mostra que seus conceitos são meio deturpados e muitas vezes buscam atender os proprios interesses.

“a norma brasileira e a sua regulamentação cercam a utilização de células embrionárias das cautelas necessárias a evitar a sua utilização viciosa”. Alguém tem dúvida de que a utilização poderá se dar de forma viciosa...

Mais uma vez a figura do Amicus Curiae não foi ouvida. Se alguém souber de alguma lide onde tão nobre função foi vista e ouvida com carinho, me conte, pois, até hoje nunca vi.

Eis o voto, para aqueles que não tiveram a oportunidade de acompanhar.

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 3.510-0 DISTRITO
FEDERAL
RELATOR : MIN. CARLOS BRITTO
REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA
REQUERIDO(A/S) : PRESIDENTE DA REPÚBLICA
ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO
REQUERIDO(A/S) : CONGRESSO NACIONAL
INTERESSADO(A/S) : CONECTAS DIREITOS HUMANOS
INTERESSADO(A/S) : CENTRO DE DIREITO HUMANOS - CDH
ADVOGADO(A/S) : ELOISA MACHADO DE ALMEIDA E
OUTROS
INTERESSADO(A/S) : MOVIMENTO EM PROL DA VIDA -
MOVITAE
ADVOGADO(A/S) : LUÍS ROBERTO BARROSO E OUTRO
INTERESSADO(A/S) : ANIS - INSTITUTO DE BIOÉTICA,
DIREITOS HUMANOS E GÊNERO
ADVOGADO(A/S) : DONNE PISCO E OUTROS
ADVOGADO(A/S) : JOELSON DIAS
INTERESSADO(A/S) : CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS
BISPOS DO BRASIL - CNBB
ADVOGADO(A/S) : IVES GRANDRA DA SILVA MARTINS E
OUTROS
V O T O
A Senhora Ministra Ellen Gracie - (Presidente):
Senhores Ministros, é indiscutível o fato de que a propositura da
presente ação direta de inconstitucionalidade, pela delicadeza do
tema nela trazido, gerou, como há muito não se via, um leque sui
generis de expectativas quanto à provável atuação deste Supremo
Tribunal Federal no caso ora posto.
Equivocam-se aqueles que enxergaram nesta Corte a
figura de um árbitro responsável por proclamar a vitória
incontestável dessa ou daquela corrente científica, filosófica,
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
2
religiosa, moral ou ética sobre todas as demais. Essa seria,
certamente, uma tarefa digna de Sísifo.
Conforme visto, ficou sobejamente demonstrada a
existência, nas diferentes áreas do saber, de numerosos
entendimentos, tão respeitáveis quanto antagônicos, no que se refere
à especificação do momento exato do surgimento da pessoa humana.
Buscaram-se neste Tribunal, a meu ver, respostas
que nem mesmo os constituintes originário e reformador propuseramse
a dar. Não há, por certo, uma definição constitucional do momento
inicial da vida humana e não é papel desta Suprema Corte estabelecer
conceitos que já não estejam explícita ou implicitamente plasmados
na Constituição Federal. Não somos uma Academia de Ciências. A
introdução no ordenamento jurídico pátrio de qualquer dos vários
marcos propostos pela Ciência deverá ser um exclusivo exercício de
opção legislativa, passível, obviamente, de controle quanto a sua
conformidade com a Carta de 1988.
2. Por ora, cabe a esta Casa averiguar a harmonia do
artigo 5º da Lei 11.105, de 24.03.2005, (Lei de Biossegurança) com o
disposto no texto constitucional vigente.
Para tal intento, foram apontados na presente ação,
como parâmetros de verificação mais evidentes, o fundamento da
dignidade da pessoa humana (art. 1º, III), a garantia da
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
3
inviolabilidade do direito à vida (art. 5º, caput), o direito à livre
expressão da atividade científica (art. 5º, IX), o direito à saúde (art.
6º), o dever do Estado de propiciar, de maneira igualitária, ações e
serviços para promoção, proteção e recuperação da saúde (art. 196) e
de promover e incentivar o desenvolvimento científico, a pesquisa e a
capacitação tecnológica (art. 218, caput).
Não há como negar que o legislador brasileiro,
representante da vontade popular, deu resposta a uma inquietante
realidade que não mereceu maiores considerações na peça inicial da
presente ação direta.
A fertilização in vitro, como técnica de reprodução
humana assistida, tem ajudado, desde o nascimento da britânica
Louise Brown, há quase trinta anos, a realizar o sonho de milhares de
casais com dificuldade ou completa impossibilidade de conceber
filhos pelo método natural.
Porém, a utilização desse procedimento gera,
inevitavelmente, o surgimento de embriões excedentes, muitos deles
inviáveis, que são descartados ou congelados por tempo indefinido
,
sem a menor perspectiva de que venham a ser implantados em algum
órgão uterino e prossigam na formação de uma pessoa humana.
Penso que o debate sobre a utilização dos embriões
humanos nas pesquisas de células-tronco deveria estar
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
4
necessariamente precedido do questionamento sobre a aceitação
desse excedente de óvulos fertilizados como um custo necessário à
superação da infertilidade.
Todavia, conforme registrado nas manifestações
juntadas aos autos, essa relevantíssima questão sobre os
procedimentos de reprodução assistida, apesar da tramitação de
alguns projetos de lei, nunca foi objeto de regulamentação pelo
Congresso Nacional, havendo, nessa matéria, tão-somente, uma
resolução do Conselho Federal de Medicina (Resolução 1.358, de
11.11.1992). Recorde-se que a primeira brasileira fruto de uma
fertilização in vitro nasceu em 7 de outubro de 1984.
Portanto, esse era o cenário fático e lacunoso com o
qual se deparou o legislador brasileiro em 2005, quando foi chamado
a deliberar sobre a utilização desses mesmos embriões humanos,
inviáveis ou já há muito tempo criopreservados, nas promissoras
pesquisas científicas das células-tronco, já desenvolvidas, em
diversas e avançadas linhas, nos mais importantes países do mundo.
3. No Reino Unido, o Human Fertilisation and
Embrilogy Act, legislação reguladora dos procedimentos de
reprodução assistida e das pesquisas embriológica e genética naquele
país, foi aprovada pelo Parlamento britânico em 1990, após amplo
debate social, político e científico iniciado em 1982.
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
5
O referido Diploma permitiu a manipulação
científica dos embriões oriundos da fertilização in vitro, desde que
não transcorridos 14 dias contados do momento da fecundação.
Conforme demonstrou Letícia da Nóbrega Cesarino
no artigo Nas fronteiras do “humano”: os debates britânico e
brasileiro sobre a pesquisa com embriões1, esse limite temporal
presente na lei britânica teve como razão a prevalência do
entendimento de que antes do décimo quarto dia haveria uma
inadequação no uso da terminologia “embrião”, por existir, até o
final dessa etapa inicial, apenas uma massa de células indiferenciadas
geradas pela fertilização do óvulo.
Segundo essa conceituação, somente após esse
estágio pré-embrionário, com duração de 14 dias, é que surge o
embrião como uma estrutura propriamente individual, com (1) o
aparecimento da linha primitiva, que é a estrutura da qual se
originará a coluna vertebral, (2) a perda da capacidade de divisão e
de fusão do embrião e (3) a separação do conjunto celular que
formará o feto daquele outro que gerará os anexos embrionários,
como a placenta e o cordão umbilical.
Tais ocorrências coincidem
com a nidação, ou seja, o momento no qual o embrião se fixaria na
parede do útero.
1 CESARINO, Letícia. Nas fronteiras do “humano”: os debates britânico e brasileiro sobre a pesquisa
com embriões. Mana v. 13, n. 2, Rio de Janeiro, out. 2007.
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
6
Essa formulação científica, que diferencia o préembrião
do embrião, coincide com o pensamento de Edward O.
Wilson, que ao discorrer, na aclamada obra On Human Nature sobre
o instante imediatamente posterior à fecundação do óvulo humano,
assim asseverou, verbis:
“The newly fertilized egg, a corpuscle one
two-hundredth of na inch in diameter, is not a human
being. It is a set of instructions sent floating into the
cavity of the womb. Enfolded within its spherical nucleus
are na estimated 250 thousand or more pairs of genes, of
which fifty thousand will direct the assembly of the
proteins and the remainder will regulate their rates of
development. After the egg penetrates the blood-engorged
wall of the uterus, it divides again and again. The
expanding masses of daughter cells fold and crease into
ridges, loops, and layers. Then, shifting like some
magical kaleidoscope, they self-assemble into the fetus, a
precise configutation of blood vessels, nerves, and other
complex tissues.”
A professora Letícia Cesarino, acima referida,
corroborando pensamento de Michael Mulkay, conclui que a
agregação deste conjunto de ‘fatos’ na nova categoria ‘pré-embrião’
permitiu, assim, remover o objeto da experimentação científica do
escopo do discurso moral para inseri-lo num universo técnico.
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
7
4. No Brasil (após inclusão em projeto que
objetivava a urgente regulamentação do processo de liberação dos
organismos geneticamente modificados), surge o art. 5º da Lei
11.105/2005, que autoriza o manejo das células-tronco embrionárias
de uma maneira restrita, com a precaução sempre recomendada nos
primeiros passos dados nos terrenos ainda pouco conhecidos e
explorados.
A primeira restrição imposta diz respeito à indicação
do uso das células embrionárias exclusivamente nas atividades de
pesquisa e de terapia.
Outra limitação relevante é a definição de qual
universo de embriões humanos poderão ser utilizados: somente
aqueles que, produzidos por fertilização in vitro – técnica de
reprodução humana assistida – não são aproveitados no respectivo
tratamento. Fica clara, portanto, a opção legislativa em dar uma
destinação mais nobre aos embriões excedentes fadados ao
perecimento. Por outro lado, fica afastada do ordenamento brasileiro
qualquer possibilidade de fertilização de óvulos humanos com o
objetivo imediato de produção de material biológico para o
desenvolvimento de pesquisas, sejam elas quais forem.
Além de excedentes no procedimento de fertilização
in vitro, os embriões de uso permitido ainda deverão estar dentre
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
8
aqueles considerados inviáveis para o desenvolvimento seguro de
uma nova pessoa ou congelados há mais de três anos. Presente,
assim, a fixação de um lapso temporal razoável, que leva em conta
tanto a possibilidade dos genitores optarem por uma nova e futura
implantação do embrião congelado quanto a improbabilidade de sua
utilização, para esse mesmo fim, após decorrido um triênio de
congelamento.
As restrições não param por aí. É preciso, ainda, para
que os embriões possam ser regularmente destinados à pesquisa, o
expresso consentimento dos genitores e que os projetos das
instituições e serviços de saúde, candidatos ao recebimento das
células-tronco embrionárias, sejam anteriormente apreciados e
aprovados pelos respectivos comitês de ética em pesquisa.
Saliente-se que a Lei de Biossegurança,
reconhecendo a dignidade do material nela tratado e o elevado grau
de reprovação social na sua incorreta manipulação, categorizou como
crime a comercialização do embrião humano, com base na lei de
doação de órgãos (art. 5º, § 3º), bem como a sua utilização fora dos
moldes previstos no referido artigo 5º.
Tipificou, ainda, como delito
penal, a prática da engenharia genética em célula geminal, zigoto ou
embrião humano e a clonagem humana (arts. 6º, 25 e 26).
5. Assim, por verificar um significativo grau de
razoabilidade e cautela no tratamento normativo dado à matéria aqui
Supremo Tribunal Federal
ADI 3.510 / DF
9
exaustivamente debatida, não vejo qualquer ofensa à dignidade
humana na utilização de pré-embriões inviáveis ou congelados há
mais de três anos nas pesquisas de células-tronco, que não teriam
outro destino que não o descarte.
Aliás, mesmo que não adotada a concepção acima
comentada, que demonstra a distinção entre a condição do préembrião
(massa indiferenciada de células da qual um ser humano
pode ou não emergir), e do embrião propriamente dito (unidade
biológica detentora de vida humana individualizada), destaco a plena
aplicabilidade, no presente caso, do princípio utilitarista, segundo o
qual deve ser buscado o resultado de maior alcance com o mínimo de
sacrifício possível. O aproveitamento, nas pesquisas científicas com
células-tronco, dos embriões gerados no procedimento de reprodução
humana assistida é infinitamente mais útil e nobre do que o descarte
vão dos mesmos.
A improbabilidade da utilização desses pré-embriões
(absoluta no caso dos inviáveis e altamente previsível na hipótese
dos congelados há mais de três anos) na geração de novos seres
humanos também afasta a alegação de violação ao direito à vida.
6. Ante todo o exposto, julgo improcedente o
pedido formulado na presente ação direta de inconstitucionalidade.
É como voto.
Supremo Tribunal Federal


Como cidadã tenho direito de não concordar com tudo que me é imposto.
Sou cristã!

4 de março de 2008

Votações


Talvez essa história de sistema democrático nem sempre seja a melhor.
Estou tendo uma porcaria de matéria que se chama temas emergentes.
Não votei.
Não sei quem votou... ou seja, não sei com quem brigar.
Aí a solução para amenizar a consciência é reclamar, e muito por sinal.
Chegara um dia onde apenas aqueles que tem plena consciência de suas escolhas serão aptos a votar e tomara que nessa fase, as escolhas sejam melhores.

Nas Faculdades prevalece sempre a regra da maioria, mas e aquela história de que a minoria deve ser respeitada... é uma afronta sermos submetidos a escolhas que não são nossas e que nos prejudicam.

Visitantes On line