24 de junho de 2008

AS Melhores Séries - II


Não sei quando passou, mas sei que vi. Salvo falhas enormes de memória, passou na Band. Me lembro que tinha no máximo uns 10 anos. E que minhas primas iam para minha casa para que nos assistissemos juntas.
Com certa cautela, afinal, tinham algumas cenas meio estranhas. Mas o seriado foi bom. Poucos episódios. Mais um daqueles filmes de fim do mundo devido a uma epidemia.

5 comentários:

Moisés disse...

Não me lembro dessa série não. Qual era o nome em POrtuguês?

Geizilaine disse...

O nome em português é Dança da Morte.
A SÉRIE
Em um futuro próximo, os sobreviventes de uma epidemia têm que enfrentar a decisiva batalha entre o Bem e o Mal, que vai decidir o destino da humanidade. De um lado, o grupo reunido pela bondosa anciã Abagail Freemantle; do outro, os desajustados seguidores do maligno Randall Flagg.

Fãs de horror e de Stephen King em especial consideram A Dança da Morte (The Stand) um dos melhores livros do popular escritor. Não sei se de fato é o melhor, mas sem dúvida é uma obra que, apesar de suas aproximadamente 800 páginas, prende o leitor do início ao fim e é uma demonstração da capacidade criativa de King. Muito se falou numa possível adaptação cinematográfica do livro, e houve mesmo um projeto que seria tocado pelo cultuado diretor de filmes de horror, George A. Romero. Porém King, insatisfeito com os cortes e alterações feitos na maioria dos filmes baseados em seus extensos livros, passou a apoiar adaptações de sua obra para a TV, em forma de minisséries. E foi assim que em 1994, sob a direção de Mick Garris, diretor conhecido por sua associação com o gênero fantástico, A Dança da Morte chegou à televisão americana. Com suas seis horas de duração divididas em quatro partes, a minissérie é considerada a melhor transposição de um livro de King para a TV. Não que ela seja algo excepcional, mas há razões que justificam esse entendimento. Para começar, temos a cativante trama do livro – o velho confronto do Bem contra o Mal, agora travado num futuro no qual 99% da raça humana foi dizimada por um vírus de gripe desenvolvido pelo governo americano. Os sobreviventes, imunes ao vírus, têm sonhos com duas pessoas: a centenária Abagail e o sinistro Randall, cabendo a eles decidir de qual lado ficarão no confronto que se aproxima. Mais uma vez na obra do escritor um grupo de pessoas comuns se une para enfrentar uma poderosa força maligna, e vista superficialmente a história não parece ser muito empolgante. Porém King, que também escreveu o roteiro da minissérie, lança mão de seus efetivos recursos estilísticos para criar momentos emocionantes e profundamente humanos. O elenco, onde se destacam o ótimo Gary Sinise, Molly Ringwald, Ruby Dee, Ray Walston e Rob Lowe (que dez anos depois estrelaria outra bem sucedida minissérie baseada em King, A Mansão Marsten) foi bem escolhido. Fãs do terror reconhecerão em pontas o próprio King e os diretores John Landis (Um Lobisomem Americano em Londres), Sam Raimi (trilogia A Morte do Demônio) e Mick Garris. O nível de produção, desta vez, é muito bom (ao contrário de Fenda no Tempo, por exemplo), o que permitiu a criação de elaborados efeitos de maquiagem e uma ótima trilha musical. Apesar de limitado, Garris se saiu melhor que a encomenda na direção, considerando a grandeza do projeto. Sem dúvida ajudou bastante o fato de ele conhecer bem o tipo de material com que estava lidando, por já ter trabalhado com King em ocasiões anteriores. Claro que houve algumas mudanças em relação ao livro, determinadas seções dele poderiam ter sido mais exploradas e o final, para variar, foi simplificado. Mas não há dúvida que, de modo geral, a minissérie faz justiça ao original de King, e assisti-la é tarefa obrigatória para qualquer fã do escritor.

O DVD
A Dança da Morte foi lançada pela Paramount em dois DVDs de dupla camada, cada um trazendo duas partes da minissérie, ambos acondicionados em uma embalagem Amaray para dois discos. O vídeo está no formato original fullscreen 1.33:1, com qualidade de imagem boa, não mais que isso. Apesar de não haver danos de película notáveis, senti falta de nitidez e brilho maiores. As cores não são muito vivas, e no geral se nota que não houve um tratamento específico para DVD nestas transferências, que provavelmente usaram as mesmas masters do lançamento em VHS feito nos anos 1990. O áudio está disponível em inglês, português e espanhol, todos em Dolby 2.0. No entanto, não percebi qualquer separação de canais, o que comprova que, apesar de decodificado em 2.0, o som original é de fato mono, ainda que a faixa em inglês seja de aceitável qualidade. As legendas estão disponíveis nos mesmos idiomas.

OS EXTRAS
Mais uma minissérie baseada em Stephen King, lançada sem nenhum extra no Brasil. O DVD que a Anchor Bay disponibilizou na Região 1 ainda em 1999 trazia material adicional bem interessante, como comentários em áudio de Stephen King, Mick Garris, Rob Lowe, Ruby Dee, Miguel Ferrer, Jamey Sheridan e Pat McMahon, Making of, storyboards, featurette sobre efeitos de maquiagem, galeria de fotos, informações sobre elenco e equipe, e notas de produção.

Geizilaine disse...

Não posso garantir que passou na Band, mas pelo que me lembro foi sim.
Foi uma série diferente. Sabe quando você é criança e começa a assistir coisas de adulto. Foi marcante de certa forma.

Geizilaine disse...

Ah estava me esquecendo no site da Lost Pedia, existe um post falando sobre a influência da Dança da Morte em Lost.

Geizilaine disse...

Ah! Tem gente que acha que passou foi na Record. Mas certeza eu não tenho.

Visitantes On line